quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Didática. José Carlos Libâneo. Resumo do capítulo III



A didática como atividade pedagógica escolar.

A didática é uma disciplina pedagógica porque assegura a atividade pedagógica na escola. Como disciplina da pedagogia, a didática estuda o processo de ensino através dos conteúdos escolares, o ensino e a aprendizagem. É fundamental na formação dos professores, servindo para dirigir a atividade de ensino.
A didática tem como seus principais elementos a instrução e o ensino. ela se utiliza da realidade como seu objeto de ensino, selecionando conteúdos metódicos e consegue estabelecer conexões entre o ensino e aprendizagem.
O processo didático de transmissão e assimilação do conhecimento resulta no desenvolvimento da capacidade cognoscitiva dos alunos de modo que possam assimilar com mais autonomia os conhecimentos sistematizados.
Para se entender a didática como atividade pedagógica, é necessário compreender o que significa instrução e ensino, a relação entre o currículo, metodologia, procedimentos e técnicas de ensino.
A instrução é o resultado da assimilação concreta dos conhecimentos sistematizados e a capacidade de desenvolvimento cognitivo.
O ensino consiste no planejamento da atividade didática, incluindo também  trabalho do professor como direção nas atividades de estudo dos alunos.
O currículo expressa os conteúdos da instrução, nas matérias de cada grau do processo de ensino. A metodologia é o estudo dos métodos e investiga os fundamentos e validades das ciências. Ela pode ser geral ou específica.
Os temas fundamentais da didática são: os objetivos sociais, políticos e pedagógicos da educação, os conteúdos escolares, os princípios didáticos, os métodos de ensino e a avaliação de qualidade.

Objeto de estudo: o processo de ensino.

Podemos considerar como objeto da didática o processo de ensino que inclui: os conteúdos dos programas dos livros didáticos, os métodos e formas organizativas do ensino, as atividades do professor e dos alunos e as diretrizes que regulam e orientam o processo. A função da didática, ao estudar o processo do ensino, é investigar objetivos e métodos seguros e eficazes para a assimilação dos conhecimentos.
 O processo de ensino pode ser definido como a sequência de atividades do professor e alunos que visam a assimilação do conhecimento e desenvolvimento de habilidades, através das quais o aluno aperfeiçoa sua capacidade de pensar independente. A finalidade do processo de ensino é proporcionar aos alunos os meios para que assimilem ativamente os conhecimentos, mostrando que o ensino não é só transmissão de informações.

Os componentes do processo didático.

O professor deve entender que o ensino é uma atividade complexa que envolve condições internas e externas das situações didáticas. Conhecer essas condições e lidar com elas é uma das tarefas básicas do professor para a condução do trabalho docente.
O processo didático está centrado na relação entre ensino e aprendizagem se refere à relação entre o aluno, o professor e a matéria. Entender o processo didático como totalidade abrangente implica vincular conteúdo, ensino e aprendizagem a objetivos sócio-políticos e pedagógicos a analisar criteriosamente o conjunto de condições concretas que rodeiam cada situação didática.

Desenvolvimento histórico da didática e tendências pedagógicas.

A história da didática está ligada ao aparecimento do ensino, como atividade planejada e intencional dedicada à instrução. Os primeiros indícios de instrução a aprendizagem tem como exemplo as comunidades primitivas, onde os jovens passavam por um ritual  para ingressarem no mundo adulto. Na antiguidade clássica e no período medieval se desenvolveram formas de ação pedagógica em escolas, mosteiros, igrejas, universidades.
A formação da teoria didática para investigar as ligações entre o ensino e aprendizagem ocorre no século  XVII, quando João Amós Comênio (1592-1670), um pastor protestante, escreve sobre didática, a Didaca Magna.
A didática de Comênio se assentava nos seguintes princípios:
  •  A educação é um direito natural de todos e tem finalidade de conduzir à felicidade com Deus;
  • O homem deve ser educado de acordo com o seu desenvolvimento natural, de acordo com as          características de idade e capacidade para o conhecimento;
  • Os conhecimentos devem ser adquiridos a partir da observação das coisas e dos fenômenos naturais;
  • O método intuitivo consiste da observação direta das coisas para o registro de impressões na mente do aluno.
Comênio desenvolveu métodos de instrução mais rápidos e eficientes e desejava que todas as pessoas usufruíssem do conhecimento, mas a sua idéia de que a única via de acesso ao conhecimento era a experiência sensorial não foi suficiente, pois nossas percepções frequentemente sofrem engano.
 Jean Jacques Rousseau (1712-1778) foi um pesquisador que propôs uma concepção nova de ensino, baseada nas necessidades e interesses imediatos da criança. As idéias mais importantes de Rousseau foram:
  • A preparação da criança para a vida futura deve ser baseada no estudo das coisas relacionadas as suas necessidades e interesses atuais;
  • Os verdadeiros professores são: a natureza, a experiência e o sentimento;
  • A educação é um processo natural e as crianças são boas por natureza, elas têm uma tendência natural para se desenvolverem.
 Rousseau não colocou em prática suas teorias. Essa tarefa coube a outro pedagogo suíço Henrique Pestalozzi (1746-1827) Ele considerava importante levar os alunos a desenvolverem senso de observação, análise dos objetos e fenômenos da natureza e capacidade linguística. Nisto consistia a educação intelectual.
Um dos mais importantes pedagogos influenciados por Rousseau e Pestalozzi foi Johann Friedrich Herbart (1766-1841). Segundo sua teoria a moralidade era p fim o fim do processo educacional. O homem deveria ser instruído para querer o bem, de forma que comandasse a si próprio. A instrução deveria inserir idéias corretas na mente dos alunos e o professor é o arquiteto da mente. Esse método consiste em provocar a acumulação de ideias na mente da criança.
Herbart estabeleceu quatro critérios didáticos que deveriam ser seguidos rigorosamente:
  • Clareza: apresentar a matéria nova de forma clara e completa;
  • Associação: associar ideias antigas e novas;
  • Sistematização: sistematizar conhecimentos;
  • Método o uso dos conhecimentos adquiridos através dos métodos.
O sistema pedagógico adotado por Herbart e seus seguidores (Herbartianos) contribuiu na organização da prática docente, mas o ensino, nessa teoria, é entendido como repasse de ideias do professor para o aluno, impossibilitando a troca de experiências. Os alunos devem transmitir o que o professor fala, impedindo o desenvolvimento  da atividade mental, da reflexão e do pensamento independente dos alunos.
Essas idéias pedagógicas formaram as bases do pensamento pedagógico europeu e se difundiram pelo mundo. Esses pensamentos foram responsáveis por demarcar concepções pedagógicas conhecidas como:

Pedagogia tradicional: afirma que as ações dos agentes externos influenciam na formação do aluno. A transmissão do saber é constituído na tradição e nas verdades acumuladas. E as impressões de imagens propiciadas pela palavra do professor e pela absorção sensorial são levadas em consideração.

Pedagogia renovada: agrupam ideias que defendem a renovação escolar, diferente da pedagogia tradicional. Entre as características desse movimento destacam-se: valorização da criança, tratamento científico do processo educacional, respeito às capacidades e aptidões individuais, respeitar os ritmos de aprendizagem.
Dentro das idéias de escola renovada, uma das mais destacadas corrente foi a Pedagogia pragmática ou progressivista, seu principal representante é Jonh Dewey (1859-1952). Dewey e seus seguidores reagem à concepção herbartiana da educação pela instrução, advogando a educação pela ação. A escola não prepara para vida, ela já é a vida e a educação é o resultado da interação entre organismos e o meio através da experiência e da reconstrução da experiência.
A corrente do movimento escolanovista mais predominante no Brasil foi à progressivista. E uma das correntes da pedagogia renovada que não tem um vínculo direto com o movimento da escola nova é a Pedagogia Cultural.
Sua característica principal é focalizar a educação como fato da cultura. O professor tem o trabalho de dirigir e encaminhar a formação do aluno pela apropriação de valores culturais.
O estudo teórico da pedagogia no Brasil passa por um reavivamento. Tais estudos convergem para a formulação de uma teoria crítico-social da educação, a partir da crítica política e pedagógica das tendências e correntes da educação brasileira.


Um comentário:

  1. E vocês, após leram estes temas, que dizem de suas posturas como futuros educadores. Isto é, que postura desejam assumir?

    E na visão da didática, considerando o objetivo de ensinio, que elementos devem nortear a escolha do mesmo?

    ResponderExcluir